12º LoboFest Festival Internacional de Filmes ganha versão digital

Brasília, quarta-feira, 25 novembro, 2020

Programação será transmitida pela plataforma Looke com acesso em todo o Brasil, dividida em mostras retrospectivas e competitivas nacional e internacional
Setenta filmes dos cincos continentes
De 27 de novembro a 6 de dezembro. Acesso gratuito

 

O LoboFest – Festival Internacional de Filmes realiza sua 12ª edição este ano em formato virtual, com transmissão de toda a programação pela plataforma LOOKE www.looke.com.br , com acesso gratuito e para todo o território nacional. De 27 de novembro a 6 de dezembro, o evento foca sua lente na diversidade de linguagens e temas, no formato curta-metragem, trazendo produções inéditas a serem exibidas para todo o Brasil por meio da plataforma, com cadastro prévio.

Com foco no “cinema do presente” – linguagens e temas que estão pulsantes na contemporaneidade – a programação com 70 filmes inclui produções que abrangem todo o mapa global. São diversas nacionalidades oriundas dos cinco continentes, incluindo produções de países que se firmam no mercado internacional – como Coréia, Irã, Colômbia e Turquia –e cinematografias ainda desconhecidas como Gana, Macedônia, Letônia e Equador. Além disso, produções nacionais de todas as regiões do Brasil.

Pela primeira vez, a edição online do Lobofest contará com Mostra Retrospectiva, com curtas que estiveram nas seleções de 2018 e 2019, realizadas em formato presencial. “Vamos aproveitar o alcance nacional para exibir novamente produções premiadas e que tiveram destaque nas edições anteriores. É uma oportunidade de levar essas obras a um público que não teria acesso no formato tradicional de exibição em sala de cinema”, comenta Ulisses de Freitas, curador do Lobofest.

Os temas são os mais variados, desde comédias e crônicas da vida cotidiana a histórias fabulosas e dramas sobre imigração, conflitos raciais, solidão nas grandes cidades, LGBT e outros que retratam a humanidade atual no mundo globalizado.

Já os nacionais, trazem temas que agitam o Brasil contemporâneo, com filmes sobre militâncias negras e LGBTs, fanatismo religioso e os dramas do confinamento durante a pandemia. Os cenários também são diversos e vão desde comunidades ribeirinhas e periferias, passando pelos grandes centros urbanos do Nordeste ou do Sudeste.

No dia 6 de dezembro, além da cerimônia de premiação, o Lobofest exibirá o documentário “Um presente de cem anos”, sobre a produção cinematrográfica da Coréia, país que vem despontando no cenário mundial audiovisual, tendo mudado historicamente a cerimônia do Oscar 2019 ao levar o prêmio de Melhor Filme da academia, além de diversas outras premiações. Após o documentário, bate-papo sobre cinema coreano com o especialista Josmar de Oliveira Reyes.

Curadoria

Para a curadoria do Lobo Fest desta edição foi realizado, como nas edições anteriores, um trabalho de pesquisa em festivais internacionais voltados para o curta-metragem, a exemplo da mostra Nest, do Festival de San Sebastian, na Espanha, onde os curadores tiveram a oportunidade de ver curtas de alta qualidade, realizados nas melhores escolas de cinema do mundo.

O trabalho da curadoria não foi tarefa fácil, pois foram inscritos mais de 3 mil filmes. Segundo os curadores, a parte mais difícil é excluir e ter que deixar de fora filmes muito bons por falta de espaço. “Este ano, a pandemia deu o tom. Teremos alguns filmes brasileiros, por exemplo, realizados durante este período e que conseguiram trazer reflexões múltiplas e interessantes sobre estes tempos. O público também vai perceber temas bastante recorrentes no cinema internacional como o desamparo da infância no mundo inteiro e a presença marcante dos negros, lgbt e mulheres protagonizando dramas e comédias contemporâneas”, explica Josiane Osório, idealizadora e curadora do festival.

“Há quatro anos, estamos trazendo para o Lobo Fest o melhor da produção de curtas-metragens do mundo, incluindo filmes premiados com o Oscar, com a Palma de Ouro de Cannes. Este ano, por exemplo, teremos representantes de países como Gana, da Macedônia, da Colômbia, do Equador, do Canadá, do Egito, de Taiwan. Muitos deles já chegam superpremiados, já outros são novidades, jóias exclusivas do Lobo Fest. O Brasil, por sua vez, traz um cinema plural, jovem e arrojado com filmes de estados, como Amazonas, Rio Grande do Norte, Alagoas, São Paulo, Paraná”, conta Ulisses de Freitas, curador do Lobofest.

Oficinas educativas

O braço educativo e a formação do olhar sempre estão presentes na programação do Lobofest. Nesta edição, será realizada a “Oficina de Cinema com Celular”, com início no dia 18 de novembro e encerramento em 21 de dezembro, totalmente online, pela plataforma ZOOM.

No programa, ministrado pelos cineastas Alice Lira e Leonardo Monteiro, numa parceria com a Cinese Audiovisual, 14 módulos vão da introdução ao audiovisual, passando por todas as etapas, até a pós-produção de um filme.

São 40 vagas, para pessoas a partir de 14 anos, e as aulas acontecem das 9h30 às 11h30, às segundas, quartas e sextas-feiras. A *Oficina de Cinema com o Celular* será colaborativa e resultará em 03 filmes curtíssimos de até 05 minutos.

Sobre os professores

Alice Lira

Comunicadora social, cineasta e fotógrafa, assina o vídeo clipe “Alisar Para Quê – Thabata Lorena” com roteiro, Brasília – DF; o documentário “A Via Crucis” com roteiro, edição e produção, Cidade Ocidental – GO (2015) e o híbrido “Bwayne – O Filme” com roteiro e produção, Taguatinga – DF (2017).

Desde 2010 realiza trabalhos como fotógrafa de eventos e como produtora audiovisual, ainda no ensino médio, produz seu primeiro curta-metragem “Derrubando Reis” (2010). Em 2014, firma parceria com Leonardo Monteiro e cocriam a Cinese Audiovisual LTDA, na qual assinam juntos mais de 300 registros de eventos culturais, sociais e institucionais.

Leonardo Monteiro

Cineasta, editor, produtor musical, assina a direção de 3 curtas metragens “Melancholy” (2016), “Memórias de Uma Senhora de Meia Idade” (2016) e “Bwayne – O Filme” (2017). Desde 2009 realiza trabalhos como técnico de som de bandas e eventos culturais e possui vasta experiência em colorização, desenho de som, mixagem, masterização, produção e composição musical. Autor dos álbuns de músicas instrumentais “Músicas que eu Sempre Quis Tocar I e II”. Leonardo é responsável por finalizar e dar homogeneidade a toda produção imagética e sonora da Cinese Audiovisual.

O projeto é realizado por meio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) e todas as atividades são gratuitas e tem apoio da Embaixada da Coreia, Centro Técnico Audiovisual (CTAV) – Ministério do Turismo, Cinese Audiovisual, Looke, Fórum dos Festivais, Max Estudios, Bucareste Escola de Cinema, DOT Cine e CIL Núcleo Bandeirante. Realização Tábata Filmes e Produção da Tato Comunicação.


12ºLobofest – Festival Internacional de Filmes
De 27 de novembro a 6 de dezembro
Mostras Retrospectivas 2018-2019
Mostras Competitivas Nacional e Internacional
Acesso gratuito de toda a programação pela plataforma LOOKE
www.looke.com.br
Programação completa em www.lobofest.com.br
@lobofestbsb

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!