Casos de dengue caem 81,5% no Distrito Federal

Brasília, sábado, 22 maio, 2021

Casos de dengue caem 81,5% no Distrito Federal

A Secretaria de Saúde segue realizando ações de prevenção e combate ao mosquito, mas é necessário que a população faça a sua parte | Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Com: informações da Secretaria de Saúde

Atualizado em: 23 maio, 2021

Ações contra o mosquito foram intensificadas e registros foram reduzidos de 30.467 em 2020 para 5.629 no mesmo período deste ano

Os casos de dengue no Distrito Federal seguem em queda quando se compara com o mesmo período de 2020. Até o momento, já foram notificados 5.629 casos prováveis da doença, um decréscimo de 81,5%. Considerando a complexidade da infecção pela doença, este ano foram registrados 61 casos com sinais de alarme, 7 graves e cinco óbitos. No mesmo período do ano passado, foram registrados 30.467 casos e 22 óbitos.

Os dados são do último boletim epidemiológico, divulgado no dia 21 de maio. Para que os números continuem em queda, a Secretaria de Saúde vem intensificando as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti em todas as regiões administrativas do Distrito Federal.

496.526
Inspeções realizadas em imóveis do DF este ano até vinte de maio

De 1° de janeiro a 20 de maio deste ano, foram realizadas 496.526 inspeções em imóveis do DF. Destes, 74.507 estavam fechados e 1.096 se recusaram a receber as equipes da vigilância sanitária. Nos demais, os agentes de Vigilância Ambiental orientaram os moradores e eliminaram possíveis focos e criadouros.

A dengue no DF

As regiões que mais apresentaram casos prováveis da doença foram Planaltina com 1.255, seguida por Ceilândia que apresentou 569 casos, Sobradinho (557 casos), Sobradinho II (438 casos) e Paranoá, com 277 casos.

Dos óbitos registrados, três foram em moradores de Ceilândia e dois residentes de Planaltina.

A Secretaria de Saúde segue monitorando os índices da doença e realizando ações de prevenção e conscientização em todo o DF. Além disso, nas regiões com maior incidência é feita aplicação do UBV pesado (fumacê) em horários específicos e programados.

Para que os casos permaneçam em queda, é necessário que cada um faça sua parte e mantenha a vigilância contra o Aedes aegypti. A Secretaria de Saúde lembra que a luta contra a dengue começa dentro de casa.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!