Coleta seletiva começa em mais seis regiões na segunda-feira (16)

Brasília, sábado, 14 maio, 2022

Coleta seletiva começa em mais seis regiões na segunda-feira (16)

Ibaneis Rocha chamou a atenção para a capacidade finita do aterro sanitário: “Precisamos preservar e melhorar o meio ambiente” | Fotos: Renato Alves/Agência Brasília

Fonte: Agência Brasília
Por: Hédio Ferreira Júnior
Atualizado em: 14 maio, 2022

Governador Ibaneis Rocha assinou nesta sexta (13) a ordem de serviço que autoriza a expansão

A partir desta segunda-feira (16), a coleta seletiva do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) do Governo do Distrito Federal (GDF) chega a mais seis regiões administrativas. Com isso, os moradores do Jardim Botânico, de Arniqueira, do SCIA/Estrutural, do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), da Fercal e de Brazlândia passam a contar com o recolhimento dos descartes aptos à reciclagem.

A prestação do serviço também será estendida a setores de outras quatro regiões onde já vinha ocorrendo parcialmente: na Colônia Agrícola Samambaia, em Vicente Pires, e nos condomínios horizontais do Paranoá, de Sobradinho e do Park Way. Nesta sexta-feira (13), o governador Ibaneis Rocha assinou a ordem de serviço que autoriza a expansão da coleta seletiva.

O investimento nesta etapa de expansão da coleta seletiva é de aproximadamente R$ 12,6 milhões e vai beneficiar mais de 1,4 mil catadores que vivem da renda gerada pela seleção e venda de materiais recicláveis

“A gente tem que pensar que o aterro sanitário tem capacidade finita, por isso precisamos estimular o máximo possível o descarte correto de recicláveis e, entre outras coisas, preservar e melhorar o meio ambiente”, avalia Ibaneis Rocha.

O investimento para esta etapa de expansão da coleta seletiva nas dez regiões é de aproximadamente R$ 12,6 milhões e vai beneficiar mais de 1,4 mil catadores que vivem da renda gerada pela seleção e venda de materiais recicláveis. O SLU conta agora com 41 contratos com cooperativas de catadores, sendo 22 de coleta seletiva porta a porta e 19 de prestação de serviço de triagem.

De acordo com o diretor-presidente do SLU, Silvio de Morais, o Distrito Federal avança para quase 100% de cobertura da coleta seletiva. O descarte e o encaminhamento correto de recicláveis evitaria que o aterro sanitário do DF recebesse cerca de 500 toneladas por dia de materiais poluentes ao meio ambiente.

“A não separação do lixo reciclável do orgânico causa prejuízos ao poder público porque reduz a vida útil do aterro, além de tirar a chance de renda de quem faz disso uma renda”, explica Silvio de Morais.

Além do governador e do presidente do SLU, participaram da solenidade de assinatura da ordem de serviço o secretário de Governo, José Humberto Pires; o administrador regional do Jardim Botânico, Jânio Rodrigues, e o presidente da Câmara Legislativa, deputado Rafael Prudente.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!