Cuidado com as pipas! Brincadeira não pode virar tragédia

Brasília, segunda-feira, 16 agosto, 2021

Cuidado com as pipas! Brincadeira não pode virar tragédia

Na rede elétrica, as pipas podem provocar curto-circuito | Foto: Divulgação Neoenergia

Fonte: AGÊNCIA BRASÍLIA
Por: LÚCIO FLÁVIO
Atualizado em: 16 agosto, 2021

Evite brincar perto de redes elétricas e em tempos chuvosos. Só este ano cerca de 700 ações de limpezas foram realizadas em postes e fios

Criadas na China Antiga como instrumentos de sinalização militar ou mesmo símbolo religioso, as pipas ou papagaios se tornaram uma das diversões mais requisitadas entre a criançada. Nesse período de seca e muito vento, a brincadeira acontece em diversos cantos do DF. Mas é preciso cuidado! Empinar essas estruturas feitas de papel e bambu próximo de redes elétricas ou residência, pode causar graves acidentes. É o que alerta a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros do DF e as empresas que cuidam da rede elétrica. Fazer uso do cerol, então, produto feito à base de pó de vidro, nem pensar.

“A recomendação é nunca utilizar cerol”, diz, taxativo, o subtenente do Corpo de Bombeiros, Rondinele Nunes da Silva. “Os mais afetados, com certeza, com essa prática são as próprias crianças que brincam com as pipas, cortando braços e rosto, além, claro, dos usuários de motociclistas e ciclistas”, esclarece o militar.

Outro alerta é com relação aos dias chuvosos, cheios de relâmpagos e mesmo com ventos fortes. Qualquer alteração brusca no tempo, o recomendável é recolher o papagaio e soltá-lo só quando estiver estiado. E, definitivamente, pipa e fiação elétrica não combina e os transtornos causados por essa combinação são bem maiores do que se possa imaginar. Isso porque, ao se enroscarem nos fios, o brinquedo provoca curto-circuito, falta de energia ou até mesmo rompimento de cabos.

O risco aumenta pelo uso de cerol aplicado à linha, já que o material é um perigoso condutor de energia elétrica por conter raspas de vidro e pó metálico misturados com a cola. A situação agrava com o uso da linha chilena, produto industrial que contém pó de quartzo e óxido de alumínio. É o que observa o subtenente Nunes.

“A linha crua, seu nenhum aditivo de cerol, não é condutiva. Mesmo que a pipa pegue na rede elétrica, ela não vai passar energia para as crianças”, explica o militar do Corpo de Bombeiros. “O problema é essa pipa ficar presa nos fios e a criança ou o adolescente tentar pegar com algum tipo de vara ou haste que seja condutiva. Aí é onde está o perigo”, alerta.

Transtornos

Em julho, quase 500 moradias de Planaltina ficaram sem energia por conta de um curto-circuito causado por uma pipa

Para se ter ideia da gravidade do problema, só este ano, entre os meses de janeiro e junho, a concessionária Neoenergia realizou cerca de 700 intervenções de limpeza nas redes de energias do DF. Segundo dados da empresa, só no ano passados foram mais de 3,1 ações do tipo. O trabalho consiste na retirada de objetos presos nas redes elétricas. Grande parte pipas. No mês de julho, quase 500 moradias de um condomínio em Planaltina ficaram sem energia por conta de um curto-circuito causado por um desses brinquedos.

“Em casos de pipas presas em postes e fiações, as pessoas jamais devem retirá-las”, chama atenção a Gerente de Saúde e Segurança da Neoenergia, Rosy Menezes. “É um trabalho feito apenas pelos funcionários da Concessionária, que são profissionais capacitados para se aproximar da rede elétrica”, avisa.

Assim, para que a temporada de pipas nos meses de julho e agosto sejam seguras no DF, tanto o Corpo de Bombeiros do DF, quanto a Defesa Civil, juntamente com a Neoenergia, fazem uma série de alertas para que tudo ocorra bem durante essa divertida prática. Inclusive os cuidados no combate à Covid, como bem observa o Coordenador de Operações da Defesa Civil, tenente-coronel, Rossano Bohnert. “Em tempos de pandemia, aglomerações devem ser evitadas e pipa é uma diversão que junta a garotada, mesmo ao ar livre, é bom evitar grupinhos”, reflete.

🪁🪁🪁 Dicas para evitar acidentes com pipas 🪁🪁🪁

– Não brincar em locais onde há rede elétrica. O ideal é procurar áreas abertas como parques, campos de futebol afastados dos centros urbanos e áreas descampadas;
– Nunca utilizar cerol ou linha chilena. Além de cortantes, são perigosos condutores de energia;
– É recomendável que crianças e adolescentes sempre soltem pipas supervisionadas por adultos;
– Não é recomendável soltar pipas em locais com circulação de automóveis;
– Jamais use fios metálicos ou papel laminado para confeccionar a pipa. Eles são condutores de energia e podem causar choques fatais;
– Se a pipa ficar presa nos fios elétricos, nunca tente retirá-las;
– Não solte pipas em dias de chuva ou vento muito forte. Em caso de relâmpagos, recolha a pipa imediatamente;
– Não jogue objetos na rede de energia elétrica como arames, correntes e cabos de aço, além de causar interrupções no fornecimento, há grande risco de provocar acidentes.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!