Obesidade aumenta o risco de doenças cardiovasculares

Brasília, sexta-feira, 8 outubro, 2021

Obesidade aumenta o risco de doenças cardiovasculares

Crédito: Freepik.


Atualizado em: 8 outubro, 2021

No DF, 55% da população apresenta excesso de peso. No Dia Nacional da Prevenção da Obesidade, 11 de outubro, o cardiologista Ernesto Osterne explica como o excesso de peso pode afetar o coração

Caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, a obesidade é um dos principais fatores de risco para várias doenças não transmissíveis (DCNTs), a exemplo das doenças cardiovasculares, tais como hipertensão, acidente vascular cerebral e várias formas de câncer. Um fato que preocupa bastante é que mais da metade dos moradores do DF, segundo a Secretaria de Saúde, estão acima do peso.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a obesidade é um dos fatores mais graves para o aparecimento de doenças cardiovasculares. O cardiologista hemodinamicista do Instituto do Coração de Taguatinga (ICTCor), Ernesto Osterne, explica que a obesidade é uma doença que pode trazer grandes riscos ao coração. “Ser obeso aumenta as chances de doenças cardiovasculares, pois o aumento da gordura abdominal faz subir a pressão arterial e os níveis de colesterol conhecido como ruim, o LDL. Assim, a obesidade pode atrapalhar o ritmo do coração com aparecimento de arritmia, levando, por exemplo, a um infarto agudo do miocárdio.”, comentou.

Para o diagnóstico em adultos, o parâmetro utilizado mais comumente é o do Índice de Massa Corporal (IMC). Consideram-se obesas as pessoas com IMC superior a 30. Já as que têm IMC entre 25 e 29,9 são portadoras de sobrepeso. A má alimentação e o sedentarismo são fatores determinantes para a obesidade, uma vez que o acúmulo de gordura corporal ocorre pela baixa quantidade de calorias que são queimadas.

“A obesidade atrapalhava o ritmo do meu coração, que era muito acelerado e isso me causava arritmia. Eu me cansava mais rápido que as outras pessoas. Para mim que estava acima do peso desde a infância, viver assim era normal, mas depois que tive acompanhamento com um médico emagreci e percebi como minha vida é melhor quando não se é obesa”, disse a analista acadêmica Daniele Prates.

Cuidar da saúde é fundamental para uma melhor qualidade de vida. Proporcionando efeitos em curto e médio prazo, como maior disposição no dia a dia, e principalmente para o futuro, atuando na prevenção de doenças.

“Estar atento aos sinais do corpo e adotar hábitos saudáveis, como os cuidados com a alimentação e a prática regular de exercícios físicos, são medidas fundamentais para combater a obesidade e outras doenças associadas a ela”, disse o Dr. Ernesto.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!