Postos de vacinação passam a receber doações de cestas básicas para famílias pobres do Distrito Federal

Brasília, terça-feira, 6 abril, 2021

No Lago Sul, as doações podem ser feitas no Posto de Saúde da QI 23.

Fonte: ASCOM RAXVI

Atualizado em: 6 abril, 2021

“Solidariedade salva” – este é o tema da campanha que pretende ajudar famílias em situação de vulnerabilidade social que, com a pandemia, passam por dificuldades financeiras e muitas delas sofrem com a fome, a falta de alimentos básicos e medicamentos. No momento em que o auxílio não só do Governo, mas de toda a sociedade, é fundamental, os 47 postos de vacinação do DF, incluindo os que funcionam no sistema drive-thru, estão se preparando para receber também doações de cestas básicas.

A campanha é coordenada pela Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância do Gabinete do Governador, em conjunto com a Secretaria de Saúde, Secretaria de Governo e Vice-Governadoria e tem o objetivo de conscientizar a população para a importância da solidariedade neste momento da pandemia, auxiliando de forma efetiva às famílias mais pobres. Os produtos doados serão distribuídos para estas famílias pelo Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil.

A primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha, e a esposa do vice-governador Paco Britto estão pessoalmente empenhadas nesta campanha e apelam para a participação de todos os moradores, entendendo que, neste momento, qualquer iniciativa pode salvar vidas e contribuir para a superação deste grave momento em que passa o Distrito Federal. Além dos pontos de vacinação, redes de supermercado do Distrito Federal também aderiram ao movimento do Solidariedade Salva, sendo possível, também, realizar doações nas redes de supermercado Caíque, Super Top, Super Veneza, Cerramix, Superbom, Pravocê, Dona de Casa, Comper, Big Box e Ultrabox.

Para o administrador regional do Lago Sul, Rubens Santoro, o momento exige atitudes solidárias e todo tipo de ajuda pode amenizar o sofrimento destas famílias, que necessitam deste apoio para superar as consequências desta crise. Além de conviverem com a dor da perda, sofrem com a falta de trabalho e das mínimas condições de sobrevivência. E apela aos moradores do Lago Sul para que participem da campanha e contribuam com a doações de alimentos, numa demonstração de união e consciência social.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!