Produtores vendem 60 mil caixas de morango na feira em Brazlândia

Brasília, terça-feira, 14 setembro, 2021

Produtores vendem 60 mil caixas de morango na feira em Brazlândia

Na Morangolândia, o público pôde comprar direto dos produtores a fruta in natura ou em forma de doces, tortas, geleias e licores | Fotos: Emater-DF

Com: informações da Emater-DF
Fonte: AGÊNCIA BRASÍLIA

Atualizado em: 14 setembro, 2021

Evento encerrado no último fim de semana é a principal atividade de divulgação do morango na região

Quarenta espaços de comercialização de morango, doces, geleias e licores na Morangolândia; 30 estandes de produtores de flores e plantas ornamentais na Florabraz; cinco palestras técnicas para dezenas de agricultores; mais de mil pré-inscrições e 221 participantes no Colha e Pague; 190 morangos avaliados na Mostra do Morango, e aproximadamente 60 mil caixas de morangos comercializadas.

“Felizmente foi possível fazer um evento bonito, organizado e seguro, que fez muita diferença para os agricultores aqui do Distrito Federal”
Denise Fonseca, presidente da Emater-DF

Estes são alguns dos números da participação da Emater-DF na 25ª Feira do Morango de Brasília, realizada em Brazlândia. “Estamos muito felizes com os resultados porque sabíamos da expectativa dos produtores. No ano passado não houve feira presencial por conta da pandemia e eles temiam que isso se repetisse este ano”, diz a presidente da Emater-DF, Denise Fonseca.

“Felizmente foi possível fazer um evento bonito, organizado e seguro, que fez muita diferença para os agricultores aqui do Distrito Federal, que já contam com a feira todos os anos para estimular o consumo e a venda do morango no seu pico da safra”, avalia Denise.

Morangolândia e Florabraz

Não há como precisar quantas pessoas passaram pelos estandes da Morangolândia e da Florabraz, mas o gerente do escritório da Emater-DF em Brazlândia, Hélio Lopes, calcula que cerca de 100 mil pessoas tenham visitado a feira nos seus dois fins de semana de funcionamento. E provavelmente, essas pessoas passaram por pelo menos um dos dois lugares.

“São espaços já tradicionais na feira. Além do morango in natura, as pessoas procuram muito pelos doces feitos com morango. Esse evento mostra um pouco da produção de morangos da nossa região e ajuda muito na comercialização”, conta Hélio.

Colha e Pague

O Colha e Pague, realizado pela Emater-DF na chácara Fukushi, certificada na produção de orgânicos, também foi um dos pontos altos da Feira do Morango, como demonstraram as mais de mil inscrições. Este ano, por conta da pandemia, não foi possível atender todas as pessoas que demonstraram interesse, já que os grupos precisavam ser pequenos e em visitas espaçadas.

As 221 pessoas que conseguiram participar tiveram a oportunidade de colher morangos diretamente do pé, consumir a fruta ali mesmo, na plantação, e depois desfrutar de um lanche com suco, biscoitos e geleias. Também era possível comprar morangos para levar para casa.

14.971
acessos ao site do Põe na Cesta foram registrados no período da feira

Concurso de Receitas

No período que antecedeu a feira, a Emater-DF também realizou, em parceria com a Universidade Católica de Brasília (UCB), o Concurso de Receitas com Morango. Cinco grupos de produtores rurais de Brazlândia participaram da competição, que já é tradicional no evento. O resultado foi divulgado no domingo (5), durante a Feira do Morango.

Participantes das 16 edições do concurso, Lindaura Carvalho e Eliza Dourado foram as vencedoras, com um prato feito de tirinhas de tapioca amorangada com lombo, catupiry e parmesão. Pela colocação, elas ganharam R$ 1 mil. O segundo lugar foi para o rocambole de carne moída com geleia de morango picante. Já o terceiro, ficou com a torta de morango. As premiações do segundo e do terceiro lugar foram de R$ 600 e R$ 400, respectivamente.

Os aspectos avaliados pelo júri, formado por profissionais do curso de gastronomia da UCB, foram aparência, originalidade, organização, higiene no preparo e sabor.

O prato vencedor do concurso de receitas: tirinhas de tapioca amorangada com lombo, catupiry e parmesão

Palestras a atendimentos

Durante toda a Feira do Morango, técnicos da Emater-DF se revezaram no estande montado na Morangolândia para atender agricultores e visitantes. No segundo fim de semana do evento, também foram realizadas cinco palestras técnicas voltadas a produtores rurais.

Os extensionistas falaram sobre sucessão familiar, jardins multifuncionais, agricultura de precisão, máquinas agrícolas para a agricultura familiar, e boas práticas agrícolas e embalagens para morango.

Põe na Cesta

Consumidores do DF também puderam encomendar morango pela plataforma de comercialização Põe Na Cesta, criada pela Emater-DF em 2020. Pelo sistema, era possível contatar agricultores cadastrados no site e combinar diretamente com eles quantidades, pagamento e entrega.

Durante o período da Feira do Morango, foram registrados 14.971 acessos às páginas do site. Ainda é possível comprar por essa modalidade. Basta acessar o site do Põe na Cesta de qualquer navegador de internet.

Feira do Morango

A 25ª Feira do Morango de Brasília abriu oficialmente em 3 de setembro e seguiu até o feriado de 7 de setembro no primeiro fim de semana. Reabriu no fim de semana seguinte (dias 10, 11 e 12). Devido à pandemia de Covid-19, este ano não foi possível realizar os shows e apresentações artísticas que ocorreram em anos anteriores.

As atividades presenciais precisaram seguir os protocolos de saúde e segurança estabelecidos pelo Governo do Distrito Federal (GDF), como uso de máscaras e álcool em gel.

O evento deste ano foi organizado pela Arcag e Instituto Rosa dos Ventos, com apoio da Emater-DF, Administração Regional de Brazlândia e Secretaria de Turismo.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!