Risco de infarto e AVC no inverno é maior, aponta especialista

Brasília, sábado, 27 junho, 2020

Crédito: Freepik

O inverno chegou e, além da proteção ao corpo, por conta das baixas temperaturas é preciso também um cuidado especial com a saúde do coração. Isso porque é nesta estação do ano que o risco de um infarto do miocárdio, popularmente conhecido como ataque do coração, se torna maior.

Segundo o Instituto Nacional de Cardiologia(INC), estudos realizados em diferentes países mostram que, no inverno, quando comparadas às outras estações do ano, o número de infartos cresce, em média, 30% e os de AVC (Acidente Vascular Cerebral), 20%. No Brasil, o maior risco de infarto e AVC estaria os estados do Sul e Sudeste, devido às frentes frias com maior intensidade, mas as outras regiões também precisam de atenção. Para o cardiologista hemodinamicista do Instituto do Coração de Taguatinga (ICTCor), Thomas Osterne, uma série de explicações são utilizadas para este fato.

“Durante o inverno observa-se uma elevação da pressão sanguínea. Isso se deve a uma resposta do nosso organismo frente ao frio. Na tentativa da manutenção da temperatura corporal, é liberada a catecolamina, substância que, entre outras funções, acelera o metabolismo para evitar a perda de calor, como forma de proteger o funcionamento de órgãos vitais internos. Isso leva à diminuição do calibre dos vasos de sangue e eleva a pressão sanguínea”, explica.

Ainda segundo o profissional, outros dois pontos que podem ter relação são as mudanças comportamentais nessa época do ano, tais como: redução da prática de atividade física regular, redução da ingestão de líquidos e maior consumo de alimentos gordurosos. Além disso, o aumento de infecções, principalmente as respiratórias, como gripe, resfriado e pneumonia, leva a uma inflamação dos vasos, podendo predispor a uma ruptura de placa de colesterol e ocasionando o infarto.

Para amenizar esses riscos, Thomas Osterne ressalta a importância de manter os famosos hábitos saudáveis no decorrer da vida. Apesar de clichê, são essas iniciativas que previnem e evitam uma série de doenças.

“Alimentação balanceada, atividade física regular, procurar ter boa qualidade de sono, diminuir a carga de stress, manter um peso ideal e suspensão de tabagismo são práticas essenciais para manter a qualidade de vida. Já os pacientes portadores de doenças crônicas como hipertensão, diabetes e dislipidemia devem manter o uso regular das medições e o acompanhamento frequente com o cardiologista”, completa.

O check up durante o ano todo é a principal forma de prevenção para os problemas no inverno, mas de acordo com o especialista, alguns pequenos cuidados podem preparar o corpo para enfrentar as temperaturas mais baixas.

“Idosos e portadores de doenças crônicas devem tomar a vacina contra gripe anualmente. É importante que seja antes do início do outono para estarem protegidos no inverno, quando são mais comuns os casos de gripes e outras doenças respiratórias. Essas doenças, agravadas pela poluição dos grandes centros urbanos, provocam inflamação dos vasos sanguíneos. Fator este. relacionado diretamente com o aumento no número de casos de infarto e AVC”, finaliza Thomas.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!

Pular para a barra de ferramentas