Uma gestão de grandes obras espalhadas por todo o Distrito Federal

Brasília, segunda-feira, 17 maio, 2021

Uma gestão de grandes obras espalhadas por todo o Distrito Federal

São obras que vão do viaduto de Taguatinga à recuperação da W3 Sul, da reforma das escolas à construção de novas unidades básicas de saúde (UBSs), sem falar da entrega do Trevo de Saída Norte e da reestruturação completa da rede de drenagem de Vicente Pires Foto: Renato Alves / Agência Brasília


Atualizado em: 19 maio, 2021

Em plena pandemia e com menos de dois anos e meio de atuação, GDF investiu mais de R$ 1 bilhão em empreendimentos

A pandemia deflagrada em março de 2020 provocou uma paralisação em massa no Brasil. O desencadeamento de uma crise sem precedentes travou setores da economia, gerou desempregos e trouxe preocupações sobre o futuro de projetos das administrações públicas. Na contramão de tudo isso, porém, o governador Ibaneis Rocha fez diferente: determinou que nenhuma obra estruturante fosse paralisada no Distrito Federal.

O resultado é o que se vê nas ruas um ano e dois meses depois: grandes estruturas viárias concluídas, reformas urbanas em áreas tombadas pelo Patrimônio Público, novas unidades básicas de saúde, reestruturação de toda a rede de drenagem de uma Região Administrativa (RA) e diversas outras obras em andamento – que geraram emprego e renda a milhares de trabalhadores. “Estamos enfrentando a covid-19 sem parar a cidade”, declarou Ibaneis.

São obras que vão do viaduto de Taguatinga à recuperação da W3 Sul, da reforma das escolas à construção de novas unidades básicas de saúde (UBSs), sem falar da entrega do Trevo de Saída Norte e da reestruturação completa da rede de drenagem de Vicente Pires. Por lá, já foram construídos até agora 128 km de drenagem, 130 km de ruas, 110 km de calçadas e 260 km de meios-fios.

O Governo do Distrito Federal (GDF) já investiu mais de R$ 1 bilhão em obras que beneficiarão a população nas áreas de saúde, educação e mobilidade

A população comemora ainda o início das obras do viaduto do Recanto das Emas e o reforço estrutural das tesourinhas e dos viadutos do conjunto arquitetônico do Plano Piloto – além do início da reforma inédita da Ponte Costa e Silva, que dá acesso ao Lago Sul.

O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Fauzi Nacfur, acredita que as características das obras viárias, feitas ao ar livre e com facilidade de distanciamento entre os operários, contribuíram para que tudo fosse levado adiante sem comprometer a segurança dos trabalhadores. “Claro que tudo também vem sendo possível pela integração dos diversos órgãos do governo envolvidos nos grandes projetos”, pontua.

Em menos de dois anos e meio da atual gestão, o Governo do Distrito Federal (GDF) já investiu mais de R$ 1 bilhão em trabalhos que beneficiarão a população nas áreas de saúde, educação e mobilidade. “Vamos continuar trabalhando muito para manter o ritmo das obras, tanto em 2021 quanto em 2022. O governador tem muitos planos, e estamos aqui para poder tirá-los do papel e transformá-los em realidade”, afirma o secretário de Obras, Luciano Carvalho.

Confira, abaixo, os grandes projetos executados em execução do GDF.

  • Construção de dois viadutos na Estrada Setor Policial Militar (ESPM), na altura do Quartel do Comando Geral da Polícia Militar
    Valor investido: R$ 7,6 milhões
    Empregos gerados: 220
    Previsão de entrega: segundo semestre de 2021
    O que foi feito na obra: no momento, a empresa contratada trabalha na escavação do terreno onde serão construídos os pilares dos viadutos e as pistas exclusivas para o transporte público.
Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília
  • Alargamento do viaduto da Estrada Parque Taguatinga e da Estrada Parque Contorno (EPCT), no entroncamento da duas rodovias
    Valor investido: R$ 5,1 milhões
    Empregos gerados: 180
    Entregue em janeiro de 2020
    O que foi feito na obra: os viadutos foram unificados e agora contam com 41,80 metros de largura distribuídos com 11 faixas, entre 3,5 e 4 metros, para a circulação de veículos. Cinco faixas são no sentido Plano Piloto e quatro no sentido Taguatinga, além de duas faixas centrais, com largura de 4 metros, para ônibus.
Foto: Paulo H Carvalho / Agência Brasília
  • Túnel de Taguatinga, na Avenida Central
    Valor investido: R$ 275 milhões
    Empregos gerados: 1,2 mil
    Previsão de entrega: primeiro semestre de 2022
    Recursos: financiamento da Caixa Econômica Federal
    O que foi feito na obra: o túnel terá 1.010 metros de extensão e vai contar com duas pistas paralelas, cada uma com três faixas de rolagem em cada sentido.
Foto: Paulo H Carvalho / Agência Brasília
  • Rota de Segurança do Setor de Inflamáveis
    Valor investido: R$ 12 milhões
    Empregos gerados: 200
    Previsão de entrega: julho de 2022
    Recursos: originários da Terracap
    Além de drenagem, serão construídas duas saídas do setor para os casos de emergência, em continuidade das vias já existentes (IN-1 e IN-2), seguindo paralelamente à via férrea até o Conjunto Lucio Costa. Ali elas se juntam à via marginal da EPTG. Quando a obra estiver pronta, cada uma das duas novas vias terá duas faixas de rolamento (mão dupla), com sete metros de largura, calçadas e ciclovia.
Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília
  • Reforma da W3 Sul
    Valor investido: R$ 24 milhões
    Empregos gerados: 500
    Previsão de entrega: dezembro de 2022
    Recursos: Fundurb e Terracap
    Em todas as quadras serão executados os seguintes serviços: melhoria do sistema viário e no fluxo de pedestres, com acessibilidade; reforma dos estacionamentos; nivelamento das calçadas com piso tátil e rampas; arborização; paisagismo; reforma dos becos entre os blocos; pintura; sinalização horizontal e troca da iluminação.
Foto: Lúcio Bernardo Jr / Agência Brasília
  • Reforma do Setor de Rádio e TV Sul
    Valor investido: R$ 4,3 milhões
    Empregos gerados: 300
    Previsão de entrega: julho de 2022
    Recursos: Fundurb
    O SRTVS vai ganhar mais 20 mil metros quadrados de novas calçadas, 130 bancos e 80 espécies de árvores para garantir sombra a quem transita na região. As calçadas serão largas, com o mínimo de 1,5  metro e o máximo de 8 metros, seguindo os moldes da revitalização da W3, com piso pré-moldado de 40 cm2.
Foto: Renato Alves / Agência Brasília
  • Infraestrutura de Vicente Pires
    Valor investido: R$ 540 milhões
    Empregos gerados: 600
    Previsão de entrega: os atuais contratos em vigor estão concluídos ainda no primeiro semestre de 2021
    Recursos: financiamento da Caixa Econômica Federal
    O que foi feito: drenagem, pavimentação, calçadas e meios-fios.
Foto: Divulgação Novacap

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!