Musical

Vivendo de brisa, uma comédia musical circula pelo Distrito Federal

Brasília, terça-feira, 9 julho, 2019

Anuncio

Após sucesso de público no CCBB Brasília, espetáculo percorre Samambaia e Gama, no dia 10 de julho
Texto e canções originais de Fernando Marques, direção musical de José Cabrera e direção de André Amaro

Após estreia com casa lotada nos CCBB Brasília, o espetáculo Vivendo de brisa, uma comédia musical, com concepção, texto e canções de Fernando Marques, direção de André Amaro e direção musical de José Cabrera, tem sessões com entrada franca no Complexo Cultural de Samambaia (6/7) e no SESC Gama (10/7), ambos às 20h.

O musical – que conta com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultural do Distrito Federal (FAC/DF) – apresenta, em treze canções, a trajetória de um compositor de origem humilde que busca se lançar como artista profissional e ascender socialmente no Rio de Janeiro. As músicas passeiam pelos mais diversos estilos: samba-canção, samba sincopado, foxe, frevo, baião e bossa.

No plano sentimental, o boêmio Geraldo de Matos se vê dividido entre duas paixões: a cândida Jandira e a independente Sueli. A trama inspira-se na vida de compositores como Wilson Baptista (1913-1968) e Geraldo Pereira (1918-1955) mas não é biográfica.

O enredo se desenrola na capital carioca, entre o final dos anos 1930 e meados dos anos 1940, fase em que o rádio se consolida como principal veículo na difusão da música popular. As comédias musicais nos palcos da Praça Tiradentes, no entanto, continuam a atrair o público.

Os episódios reais foram apenas referências para a criação da trama. “O fluminense Wilson Baptista e o mineiro Geraldo Pereira criaram canções que ainda hoje se escutam com prazer”, comenta Fernando Marques, autor dos textos e canções do espetáculo.

Vivendo de brisa colabora na construção do musical brasileiro, com artistas e repertório brasilienses. “As convenções do musical têm sido reinventadas a cada geração, ou a cada fase em que o gênero reconquista o interesse do público. Praticar o espetáculo de teatro musical ligando-o ao que fizeram outras gerações foi o que me moveu na criação da peça”, explica Marques.

Sobre o autor

FERNANDO MARQUES

José Fernando Marques de Freitas Filho é professor do Departamento de Artes Cênicas da UnB, jornalista, escritor e compositor. Publicou, entre outros, os livros Últimos: comédia musical em dois atos (livro-CD); Contos canhotos; Zé: peça em um ato; Com os séculos nos olhos: teatro musical e político no Brasil dos anos 1960 e 1970; e A província dos diamantes: ensaios sobre teatro. Autor da comédia A quatro, encenada em Brasília, e das canções do CD De cor, da cantora Wilzy Carioca. Colaborações em jornais como Correio Braziliense e Folha de S.Paulo, revistas como Folhetim e sites como Teatrojornal.

Sobre o diretor

ANDRÉ AMARO

Ator e diretor formado pela Fundação Brasileira de Teatro, onde estudou com a atriz Dulcina de Moraes, e Mestre em Arte pela UnB, André Amaro dedica-se à atividade teatral há mais três décadas, com passagens pelo Theatre du Soleil (França), Odin Teatret (Dinamarca) e Teatro Tribueñe (Espanha). Nesse período, interpretou, dirigiu e produziu dezenas de peças teatrais; escreveu textos de gêneros diversos; elaborou e executou projetos de cenografia, figurino e iluminação; lecionou em escolas de artes cênicas; integrou elencos de curtas e longas-metragens e participou de festivais e eventos nacionais e internacionais de teatro, com vários prêmios recebidos. É criador do Teatro Caleidoscópio, projeto de pesquisa da linguagem teatral com metodologia e pedagogia singular e diferenciada. Cineasta, fotógrafo e poeta, foi também um dos criadores e o primeiro coordenador do Bacharelado em Artes Cênicas do Centro Universitário Iesb. www.andreamaro.com.br

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!