Estresse, ansiedade e nervosismo aumenta dentes fraturados na pandemia

Brasília, terça-feira, 23 novembro, 2021

Estresse, ansiedade e nervosismo aumenta dentes fraturados na pandemia

Créditos: Divulgação.


Atualizado em: 23 novembro, 2021

Tensão nos músculos da face e na articulação temporomandibular são primeiros sinais do bruxismo

Muitas vezes o estresse, a ansiedade e o nervosismo causam problemas de saúde que surgem silenciosamente e nem sempre são associados com questões emocionais. Mas o que muita gente não sabe é que essas mudanças emotivas, que geralmente são repentinas, afetam o psicológico e trazem consequências que, se não tratadas, podem prejudicar na saúde dental, entre elas a fratura dentária que é mais comum no bruxismo.

Com os nervos à flor da pele, acabam surgindo sintomas como tensão nos músculos da face e na articulação temporomandibular, o que favorece o surgimento da doença. O estresse ainda aumenta hábitos como morder objetos (canetas, lápis), roer unhas, todos esses fatores acabam resultando em problemas nos dentes. É comum que esses fatores geram rachaduras, desgastes, e acabam quebrando um ou mais dentes naturais ou já tratados.

Para resolver o problema, pode ocorrer a necessidade de restaurações ou canais. “No caso de dentes que já foram tratados as consequências podem ir além resultando em até mesmo fratura de raiz onde a solução será um implante dentário”, destaca o odontólogo Luís Eduardo Marques Ferreira Júnior, da Ortoestética.

Segundo o especialista, o ideal é descobrir a causa do bruxismo o quanto antes. A condição neurológica é a mais diagnosticada em casos de fratura dentária. “É o ato de apertar e/ou ranger os dentes que pode ser de forma consciente ou inconsciente. Qualquer pessoa pode apresentar um quadro de bruxismo, mas observamos que pessoas mais ansiosas tendem a ter um bruxismo mais severo”, explica o odontólogo.

Créditos: Divulgação.

Quando procurar um profissional?

  • – Sensibilidade nos dentes, principal ao ingerir bebidas quentes ou frias;
  • – Dor ou tensão na região da mandíbula, próximo as orelhas ou no queixo;
  • – Sensibilidade ou dor no momento da escovação ou uso do fio dental;
  • – Ao perceber desgastes nos dentes;
  • – Trincas, fissuras ou rachaduras nos dentes;
  • – Se você ou alguém perceber que há ranger de dentes durante o sono ou acordado em momentos de concentração.

O profissional apto a detectar e tomar providências para melhorar os sintomas e consequências do bruxismo é o cirurgião dentista. Hoje, com a ajuda do escaneamento digital, é possível detectar os pontos onde há contato entre os dentes da arcada superior e inferior. “O objetivo é uma avaliação com precisão dos pontos e condições preexistentes às consequências do bruxismo. Em conjunto com a avaliação clínica o escaneamento vai direcionar o tratamento para cada situação”, comenta Luís.

O odontólogo explica que existem casos que devem ser corrigidos com uso de aparelhos ortodônticos para melhorar o posicionamento dos dentes pois os desgastes são ocasionados por má oclusão. Já os casos onde a oclusão está correta podem ser tratados com o uso da placa adequada e ainda com botox. A aplicação da toxina botulínica promove uma espécie de paralisação dos músculos da face ajudando a inibir a contração excessiva dos músculos.

Mudanças de hábitos que auxiliam na diminuição do estresse e ansiedade não podem ser descartados. Muitos pacientes relatam melhora de comportamento com práticas de exercícios físicos, meditação, yoga entre outras atividades. “Tratar as consequências bucais advindas do estresse é importante para aumentar a qualidade de vida e a saúde como um todo. Não deixe de fazer avaliações periódicas com um dentista preparado para atender suas necessidades”, pontua o especialista.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR:


0

Comente esta notícia!